23
set2017

Aprenda a estruturar o seu funil de vendas

Toda a equipe de vendas precisa aperfeiçoar os seus conhecimentos e processos afim de superar os problemas e ultrapassar os concorrentes. Se você acompanha as novas tendências do mercado, provavelmente já ouviu falar sobre “Funil de Vendas” ou leu artigos sobre o assunto.

Hoje eu vou abordar este tema de uma forma diferente para auxiliar você no processo de vendas. Percebo que, apesar do assunto estar bem definido na mente de muitos gestores e vendedores, na prática ainda existe uma dificuldade em entender e criar as próprias etapas de acordo com o processo de vendas interno do negócio.

Vou começar reforçando apenas alguns pontos principais do conceito para contextualizar e refrescar a memória. Vamos lá?!

O que é funil de vendas?

De forma simples, o Funil de Vendas (ou em inglês pipeline) é uma metodologia que estrutura e classifica as etapas de vendas as quais um cliente percorre quando chega em uma determinada empresa. Estruturar essas etapas não é uma missão tão simples quanto parece e é preciso estudar sua equipe e o processo de vendas que é aplicado.

Estruturando o funil de vendas

Você agora já sabe o que significa “Funil de Vendas”. Agora partimos para a prática, que é o objetivo da postagem de hoje.

Como havia dito, o primeiro passo é compreender e definir o processo de vendas do seu negócio. Sem ele, a sua equipe não saberá qual caminho seguir e como lidar com os clientes.

Uma ação importante é estruturar este processo com a ajuda dos vendedores, pois eles estão trabalhando diariamente com detalhes e são mais propícios a saber as principais necessidades.

Analise o tempo que um contato costuma demorar desde que visita a empresa até receber a proposta e finalizar a compra. Também é relevante saber a jornada desse cliente, quais são os momento que fazem parte desse caminho que ele percorre.

As etapas de um funil de vendas

O funil de vendas trouxe a possibilidade de criar um atendimento personalizado para o cliente em cada etapa.

De modo geral, essas são as etapas de um funil:

Topo: É quando o visitante vai perceber que tem uma necessidade. Nesse momento, ele ainda não sabe que a sua empresa tem a solução. É aqui que você vai entender a dor do cliente e falar de forma mais generalizada sobre isso.

Meio: A partir daqui, ele deixa de ser um visitante e se converte em um lead, mediante os materiais que a equipe de marketing promove. Nessa etapa o relacionamento com a sua empresa fica mais confiável, pois ele começa a enviar informações para você.

Fundo: Nessa etapa o lead já conhece o problema e sabe que você é uma possível solução. Já é possível fazer contatos diretos, com ofertas de contratação, ligações e envio de propostas.

Dentro das etapas Topo, Meio e Fundo de funil existem as fases. Essas fases são determinadas de acordo com o processo de vendas do seu negócio, por isso, não é possível eu falar em uma estrutura fechada, pois cada empresa tem suas particularidades.

Aqui no Jefpower, eu utilizo quatro modelos de funil de vendas (pipeline) para gerenciar as prestações de serviços dos meus clientes e parceiros. Se quiser, eu posso apresentar para você, só entrar em contato.

Traçando metas

O funil de vendas possibilita um controle maior sobre as metas da sua equipe de vendas e torna mais fácil visualizar o que está sendo alcançado ou rejeitado. Esse é um dos privilégios em trabalhar com uma estrutura do funil de vendas, pois com esses insights você consegue entender melhor o seu time e consequentemente atingir os objetivos.

E digo mais, toda a empresa se beneficia quando aplica uma boa estrutura de vendas, principalmente a equipe de Marketing. Sabendo as etapas com maior déficit, é possível desenvolver estratégias para melhorar a conversão e levar o contato até o objetivo final que é: vender.

Nutrição de contatos

Você já se perguntou como fazer com que um contato percorra as etapas do funil de vendas do seu negócio? A resposta para essa pergunta é a nutrição de contatos.

Nutrir um contato é educá-lo não só sobre seu produto ou serviço, mas também sobre o mercado em que ele atua, e curiosidades em geral. Ou seja, tudo que for relevante.

Para um trabalho de nutrição perfeito, é necessário alinhar o processo de vendas com a equipe de vendas e marketing juntas.

Eu tenho algumas soluções de ferramentas para Inbound Marketing, CRM e Email Marketing que oferecem a possibilidade de trabalhar com um Funil de Vendas personalizado e atualizado a cada passo do seu cliente, deixando seus números sempre em dia para que as análises sejam feitas da forma correta. Fala comigo se tiver interesse!

Se você ainda tem alguma dúvida de como trabalhar com o Funil de Vendas deixe aqui nos comentários.

 

01
set2017

Evernote para quem faz treinamentos particulares

Os treinamentos particulares está em crescente expansão no país. Em meio ao alto índice de desemprego, pessoas de diversas áreas tem encontrado nos próprios conhecimentos a habilidade de compartilhar informações com outros e ganhar por isso.

Desde reforço escolar até o aprendizado de alguma técnica, os treinamentos sempre são necessários para o aprimoramento pessoal e profissional. Se você realiza algum treinamento particular ou estar buscando prestar este serviço para ganhar uma renda extra, você vai gostar de como o Evernote pode ajudar nesta tarefa.

Nossa memória acaba tendo problemas para reter um grande volume de informações, por conta disso, nem sempre podemos confiar nela. Essa é uma das vantagens que o Evernote oferece, a ferramenta está disponível em diversas plataformas possibilitando o acesso sempre que necessário.

Nesta matéria, estarei apresentando a forma como eu gerencio os treinamentos particulares que realizo. Vamos lá?!

É necessário que você compreenda bem a estrutura-base do Evernote:

  • Pilhas – agrupam cadernos que podem ser categorizados por um tema.
  • Cadernos – serve para organizar as notas por tipo de assunto.
  • Notas – nela você pode salvar qualquer tipo de informação e inserir diferentes formatos de conteúdo como: fotos, documentos, áudio e vídeo.
  • Etiquetas – servem para classificação das notas.

Organizando os treinamentos particulares no Evernote

Primeiro passo: Crie um caderno com o título “Treinos Particulares” ou como preferir.

Segundo passo: Crie uma nota com as informações da pessoa pelo qual você fará o treinamento. Na mesma nota, insira a programação com os tópicos e informações referentes ao treinamento. Você também pode adicionar apresentações, planilhas ou uma foto relacionada a pessoa, por exemplo: O comprovante de pagamento realizado pela pessoa.

Terceiro passo: Adicione uma etiqueta correspondendo a situação atual da pessoa. Exemplo: Pendente, Concluído, Inativo e Em treinamento. Dica: Personalize cada etiqueta com uma cor, dessa forma você vai poder compreender o status de forma visual e atrativa.

Quarto passo: Você pode ter um caderno com modelos-padrão de conteúdos de acordo com as fases do treinamento. Neste caso, sugiro criar uma pilha para centralizar os materiais e informações.

Quinta passo: No caso de você optar pelo recurso anterior, é possível personalizar uma mensagem e enviar por e-mail da pessoa diretamente do Evernote.

Versão do Evernote no Windows

Mantenha as notas sempre atualizadas. Você pode utilizar o recurso de “Lembrete” do Evernote para receber uma notificação na data e horário do treinamento.

Este é o formato que utilizo para gerenciar os treinamentos particulares. Lembrando que eu uso a versão Evernote Business, mas você pode explorar este formato em qualquer versão da ferramenta.

Como bônus desta dica, eu vou disponibilizar este modelo de nota para você. Basta clicar aqui e fazer uma cópia para a sua conta do Evernote.

Espero que tenha ajudado! Se precisar de mais ajuda pode me procurar.
Compartilhe este conteúdo nas suas redes sociais e ajude outras pessoas com essa ideia.

10
jun2017

As 5 ferramentas de gestão de projetos mais utilizadas em startups

Na hora de escolher uma ferramenta para a sua startup você deve avaliar a eficácia dela no mercado e o número de recursos oferecidos afim de suprir as necessidades do seu negócio.

Quando estamos começando uma startup, a disponibilidade de recursos financeiros é bastante restrita, porém a necessidade de ferramentas digitais é gigante. Afinal de contas, é nos primeiros momentos de vida da startup que precisamos implementar as ferramentas essenciais para manter o negócio funcionando como deve ser e evitar problemas futuros.

Inicialmente um caderninho ou uma planilha pode até suprir as primeiras necessidades. Mas, é claro que, a medida que a startup vai crescendo, alguns processos começam a fazer falta. Não dá pra ficar fazendo controle financeiro numa planilha do Excel ou gerenciando as tarefas da equipe por troca de e-mails.

Por isso, resolvi centralizar nesta matéria algumas opções de ferramentas que são bem utilizadas nas principais startups com a finalidade de ajudar na produtividade do seu negócio de modo geral.

EVERNOTE

Já falei várias vezes sobre o Evernote aqui no blog. A ferramenta pode ser utilizada para gerenciar projetos inteiros por meio de pilhas e cadernos. Tudo que você acrescentar no Evernote pode ser pesquisado – essa é só uma das inúmeras funções que a ferramenta oferece.

Para empresas a partir de 3 colaboradores, recomendo o plano Evernote Business.

Se precisar de uma consultoria de Evernote, entre em contato comigo.

AZENDOO

Eu utilizo está ferramenta aqui no Jefpower. O Azendoo é um gerenciador de projetos e tarefas bem complexo e fácil de manusear com versões para web, desktop e Android/iOS. Além de uma visualização do projeto e seu status, também serve para garantir a produtividade de todos do time.

O Azendoo conta com opção de fazer integração com muitas ferramentas, como por exemplo: Evernote, Dropbox, Google Drive, Zapier, entre outras. No quesito gerenciamento de tarefas, é possível acompanhar as tarefas designadas para outros membros, comentar em cada uma delas, fazer upload de arquivos e outras opções.

Uma outra vantagem da ferramenta é a possibilidade de comunicação entre os membros da equipe – mensagem diretas, enquetes ou interações em forma de feed de notícias. Para um trabalho ainda mais divertido e agradável, o Azendoo permite o uso de GIFs, emojis e personalização de links.

Gostaria de uma demonstração desta ferramenta? Solicite gratuitamente aqui. 

ASANA

A ferramenta possui um visual clean possibilitando melhor foco. É possível adicionar vários detalhes em cada tarefa – comentários, arquivos, prazo e responsável. Em cada tarefa – separada por projeto – você visualiza um calendário completo com todas as tarefas entregues ou pendentes.

Quando o assunto é comunicação entre membros, o Asana possibilita adicionar comentários nas tarefas. O gestor também pode delegar o responsável da tarefas facilitando a troca de e-mails. Algumas pessoas utiliza o Asana para gerenciar projetos pessoais também.

Para equipe com menos de 5 integrantes o Asana é gratuito. Acima de 5 os preços variam e são cobrados por usuários.

TRELLO

Eu particularmente não gosto de gerenciar projetos e tarefas em formato kanban, mas gosto muito do Trello e de como ele agrega valor e praticidade no gerenciamento deste processo. Se você gosta de visual macro, o Trello é ideal para o seu negócio.

No Trelllo você cria boards dentro de cada projeto e em cada um é preenchido por cards – etapas e tarefas. Dentro dos cards você consegue fazer comentários, upload de arquivos, marcar pessoas, organizar por tags e outras funções.

A ferramenta é bem agradável e conta com aplicativos para diferentes dispositivos. Chega até a ser divertido de usar.

Para quem desejar fazer integrações tem que contratar o plano Premium.

HAVERST

O Harvest é ideal para quem busca um gerenciador de projetos com foco em rastreamento de tempo. Além de ser uma ferramenta bem centrada em equipes.

Os relatórios desta ferramenta são interessantes por informar o tempo dedicado em cada projeto por cada membro.

É possível configurar o faturamento de cada projeto – ele inclusive envia uma notificação por e-mail caso algum valor tenha ultrapassado. Essa questão de horas trabalhadas tem sido exigidas pelos gestores.

Além deste foco no gerenciamento de tempo, o Harvest também possui uma função de gerenciamento de tarefas interessante. Só não recomendo escolher está ferramenta caso a gestão de tempo não seja interessante para o seu negócio, pois a funcionalidade pode atrapalhar o seu processo de trabalho.

O que achou dessas ferramentas? Qual chamou mais atenção? Já utiliza alguma na sua startup? Deixe o seu comentário.

16
fev2017

Importando os boards do Trello para o MeisterTask

A ferramenta Trello é conhecida mundialmente, ela se baseia no sistema de kanban (em Japonês, kan = “visual” e ban = “cartão”), bastante utilizado no desenvolvimento com Scrum. A imagem abaixo ilustra sua estrutura e componentes:

Perceba que o Trello é dividido em quadros (boards), listas e cartões. Para quem não sabe, um board pode ser um projeto, produto, recurso ou basicamente qualquer outra coisa que você queira, já que seu uso não se limita a projetos de tecnologia. Você pode muito bem criar um board para organizar suas próximas férias, a reforma de sua casa e etc, esse post americano ilustra bem isso. Dentro de cada board, temos listas, que são colunas para te ajudar a organizar as tarefas, que por sua vez são representadas por cartões. Cartões podem ter checklists, anexos, imagens, votos, data de expiração e muito mais. E ao bom estilo drag-and-drop, você pode move-los entre as diferentes listas.

Mas, caso você já tenha uma estrutura no Trello e queira migrar para uma outra ferramenta com mais possibilidades e recursos que possam atender melhor suas necessidades, eu recomendo que analise o MeisterTask.

O MeisterTask é uma ferramenta de gerenciamento de tarefas e colaboração intuitiva que se integra perfeitamente com a ferramenta de mapas mentais – MindMeister. A integração permite que você transforme seus mapas mentais em boards de projetos, similar aos do Trello, e importar todas as suas ideias criativas como tarefas para que você possa executá-las após a sessão de brainstorming.

IMPORTANDO PROJETOS DO TRELLO PARA O MEISTERTASK

Para importar um projeto e tarefas do Trello no MeisterTask, basta Clicar em ” … ” Esse botão fica localizado no canto inferior esquerdo do painel, depois selecione “Import from Trello”.

Após autenticar a conta com sucesso, você terá uma lista de todos os seus boards. Basta selecionar o que pretende importar.

Viu como é simples?! Agora você pode continuar trabalhando em seus projetos diretamente no MeisterTask.

Ficou curioso para conhecer o MeisterTask na prática? Aproveite a oportunidade!

14
fev2017

Construindo um modelo de negócios canvas no Mural

Para os heavy users da internet ou aqueles que à utilizam com amplo acesso à informação, o que é simples de compreender e fácil de fazer costuma ser a opção mais atrativa. Não é a toa que o Modelo de Negócio Canvas ganhou espaço em uma velocidade impressionante, principalmente no universo das startups, sendo utilizado pela grande maioria dos jovens empreendedores.

Vale ressaltar que o Modelo de Negócios Canvas não substitui o Plano de Negócios: a análise e reflexão sobre o Canvas possibilita o desenvolvimento de um Plano bem estruturado e com maiores chances de sucesso. As mudanças no Canvas interferem automaticamente nas atualizações do Plano de Negócios.

Para quem ainda não está familiarizado com o termo, o Canvas é um mapa simples e visual que aborda os principais pontos que o empreendedor necessita considerar ao trazer o seu negócio para a realidade do mercado.

Abaixo apresento os blocos que contém no Canvas:

PROPOSTA DE VALOR: Aqui você irá pontuar o que o seu negócio vai oferecer para o mercado que realmente terá valor para os clientes.

SEGMENTO DE CLIENTES: Quais segmentos de clientes serão o foco do seu negócio? Sinalize neste bloco.

CANAIS: Como o seu cliente irá comprar e receber o produto ou serviço?

RELACIONAMENTO COM OS CLIENTES: Aqui você vai abordar como o seu negócio se relacionará com cada segmento de cliente.

ATIVIDADE-CHAVE: Destaque as atividades que são essenciais para tornar possível a Proposta de Valor.

RECURSOS PRINCIPAIS: São os recursos necessários para a realização das atividades-chave.

PARCERIAS PRINCIPAIS: São as atividades-chave desenvolvidas de maneira terceirizada e os principais recursos adquirido fora do seu negócio.

FONTES DE RECEITA: Como você pretende obter receita por meio da proposta de valor? Mostre neste bloco.

ESTRUTURA DE CUSTOS: São os custos necessários para que a estrutura do seu negócio possa funcionar.

Todas as informações contidas nos nove blocos vão formalizar a conceitualização do eu negócio, ou seja, a forma como você irá operar e gerar valor ao mercado, definindo fluxos e processos, permitindo uma compreensão e visualização do seu modelo de atuação no mercado.

Ok, entendi até aqui Jeferson. Mas, existe uma maneira de criar o Canvas e poder compartilhar e colaborar com a equipe? Opa, tem sim!

Existe uma ferramenta online para reunir ideias, construir canvas, processos, organizar conteúdos, fazer pesquisa interna, apresentações e outras possibilidades, estou falando do Mural. Nesta ferramenta é possível incluir todos os tipos de conteúdos como vídeos, imagens, documentos, links da internet, mapas, e outros formatos de arquivos de uma forma bem dinâmica.

O Mural disponibiliza vários modelos de canvas, símbolos e formas, fundos e desenhos e outros recursos úteis para aprimorar mais ainda o trabalho. Ainda tem a possibilidade de apresentar o que foi construído no mural com efeitos de zoom que tornam a apresentação bem interessante. Todo o material criado pode ser incorporado, através de um código, em outros sites e até compartilhado nas redes sociais.

O Mural foi construído para ser uma ferramenta colaborativa. Toda a sua equipe pode compartilhar e discutir ideias para encontrar soluções criativas. Você teria interesse em vê na prática como construir um canvas e outras possibilidades no Mural? Clique no banner abaixo e manda uma mensagem para mim informando o dia e horário de sua preferência.

Facebook
Linkedin
Twitter
Google+