14
fev2017

Construindo um modelo de negócios canvas no Mural

Para os heavy users da internet ou aqueles que à utilizam com amplo acesso à informação, o que é simples de compreender e fácil de fazer costuma ser a opção mais atrativa. Não é a toa que o Modelo de Negócio Canvas ganhou espaço em uma velocidade impressionante, principalmente no universo das startups, sendo utilizado pela grande maioria dos jovens empreendedores.

Vale ressaltar que o Modelo de Negócios Canvas não substitui o Plano de Negócios: a análise e reflexão sobre o Canvas possibilita o desenvolvimento de um Plano bem estruturado e com maiores chances de sucesso. As mudanças no Canvas interferem automaticamente nas atualizações do Plano de Negócios.

Para quem ainda não está familiarizado com o termo, o Canvas é um mapa simples e visual que aborda os principais pontos que o empreendedor necessita considerar ao trazer o seu negócio para a realidade do mercado.

Abaixo apresento os blocos que contém no Canvas:

PROPOSTA DE VALOR: Aqui você irá pontuar o que o seu negócio vai oferecer para o mercado que realmente terá valor para os clientes.

SEGMENTO DE CLIENTES: Quais segmentos de clientes serão o foco do seu negócio? Sinalize neste bloco.

CANAIS: Como o seu cliente irá comprar e receber o produto ou serviço?

RELACIONAMENTO COM OS CLIENTES: Aqui você vai abordar como o seu negócio se relacionará com cada segmento de cliente.

ATIVIDADE-CHAVE: Destaque as atividades que são essenciais para tornar possível a Proposta de Valor.

RECURSOS PRINCIPAIS: São os recursos necessários para a realização das atividades-chave.

PARCERIAS PRINCIPAIS: São as atividades-chave desenvolvidas de maneira terceirizada e os principais recursos adquirido fora do seu negócio.

FONTES DE RECEITA: Como você pretende obter receita por meio da proposta de valor? Mostre neste bloco.

ESTRUTURA DE CUSTOS: São os custos necessários para que a estrutura do seu negócio possa funcionar.

Todas as informações contidas nos nove blocos vão formalizar a conceitualização do eu negócio, ou seja, a forma como você irá operar e gerar valor ao mercado, definindo fluxos e processos, permitindo uma compreensão e visualização do seu modelo de atuação no mercado.

Ok, entendi até aqui Jeferson. Mas, existe uma maneira de criar o Canvas e poder compartilhar e colaborar com a equipe? Opa, tem sim!

Existe uma ferramenta online para reunir ideias, construir canvas, processos, organizar conteúdos, fazer pesquisa interna, apresentações e outras possibilidades, estou falando do Mural. Nesta ferramenta é possível incluir todos os tipos de conteúdos como vídeos, imagens, documentos, links da internet, mapas, e outros formatos de arquivos de uma forma bem dinâmica.

O Mural disponibiliza vários modelos de canvas, símbolos e formas, fundos e desenhos e outros recursos úteis para aprimorar mais ainda o trabalho. Ainda tem a possibilidade de apresentar o que foi construído no mural com efeitos de zoom que tornam a apresentação bem interessante. Todo o material criado pode ser incorporado, através de um código, em outros sites e até compartilhado nas redes sociais.

O Mural foi construído para ser uma ferramenta colaborativa. Toda a sua equipe pode compartilhar e discutir ideias para encontrar soluções criativas. Você teria interesse em vê na prática como construir um canvas e outras possibilidades no Mural? Clique no banner abaixo e manda uma mensagem para mim informando o dia e horário de sua preferência.

12
jan2017

2017 será diferente!

É importante se pensar sobre cada ação que fazemos todos os dias, mesmo nos momentos de diversão, pois quando temos a consciência de nossos atos, damos um significado para eles e assumimos uma responsabilidade não só com nós mesmos, mas também com o mundo. Nós somos os responsáveis por aquilo que acontece conosco. Quando não existe consciência, somos vítimas e também assassinos de tempo, dinheiro, qualidade de vida e desenvolvimento pessoal.

Muitas vezes tentamos tornar o planeta mais justo ou sustentável, o corpo mais saudável. Enchemos a internet com “selfies” de momentos que nem sempre são reais. Sabemos que andar de bicicleta pode diminuir a poluição no mundo, mas preferimos ir de carro ao trabalho para evitar o suor e a chuva. Todos os dias vemos matérias ou vídeos falando do mal que é gerado por fast-food, e mesmo assim lotamos as filas porque temos preguiça de ir no mercado comprar algo que faça melhor à nossa saúde.

Para que esse ano seja diferente, é necessário que tenhamos consciência das nossas ações, pois elas contribuem para o nosso desenvolvimento em vez de atrapalhá-lo. Se continuarmos a fazer as mesmas coisas sem pensar, podemos estar inconscientemente nos sabotando.

Com o período em que estamos vivendo em nosso país, de altos desempregos, cortes de gastos nas empresas e aumento da inflação, é o momento de buscar fazer a diferença. Eu sou o exemplo vivo de que existe a oportunidade. Sei que ser empreendedor não é nada fácil, são inúmeros desafios e possíveis fracassos que, na maioria das vezes, desmotivam ou interferem no sucesso. Mas, eu sei que a maioria dos negócios já falharam em algum momento e que os melhores aprendizados são adquiridos com os fracassos.

Desejo que em 2017 você faça a diferença, aproveitando mais os seus projetos e metas. Que você permita-se ter novas experiências, conhecer outras culturas, fazer uma viagem de autoconhecimento e consciência dos seus atos e que para cada um deles você seja capaz de responder: “porque você faz o que faz, a cada instante?”.

10
out2016

Empreendendo com Produtividade – Evento gratuito em Salvador

Já parou pra pensar na quantidade de aplicativos que utilizamos no dia a dia? Acrescente aí as suas mídias sociais, serviços de e-mail e de hospedagem na nuvem, além das ferramentas para anotações, gestão de vendas e relacionamento com clientes. É bem provável que você não tenha dedos suficientes na mão para completar essa conta. Inclua nessa equação a vida tipicamente atribulada de um empreendedor com muita demanda para dar conta e temos aí um cenário de caos.

É de extrema importância compreender que quando aplicadas à nossa rotina de trabalho, as ferramentas digitais tem por objetivo nos tornar melhores e mais produtivos nas atividades que executamos. Suas implicações na organização de um negócio e até mesmo na vida pessoal são vastas.

Todavia, as ferramentas, por si só, não faz milagre. É necessário planejamento, organização e disciplina para que elas não se tornem motivo de ainda mais estresse e preocupação. Por isso, estarei na sexta-feira, dia 14 de outubro, das 16h às 20h na Tropos Coworking Ambiente Colaborativo com o Workshop Empreendendo com Produtividade em Salvador. O evento é GRATUITO e faz parte da 1º Semana Tropos com realização do Jefpower.

tropos

Neste workshop, o participante conhecerá algumas metodologias e fluxos de trabalho para gerar aumento de produtividade, gestão do negócio e, consequentemente, ter ótimos resultados nos lucros. Tudo isso baseado em experiência e práticas de startups reais.

A metodologia escolhida pretende seguir as necessidades de qualquer negócio em sua fase inicial ou em desenvolvimento:

  • Gestão geral da empresa: Evernote e Google Drive
  • Gestão financeira: ContaAzul
  • CRM: Mosckit
  • Gestão de projetos e tarefas: Azendoo e Todoist
  • Marketing (design): Canva
  • Conferências: Skype e Calendly
  • Branstorming: MindMeister
  • Apresentações: Prezi

Para ser empreendedor é necessário ter paixão, coragem, persistência e sonho grande, mas também uma boa dose de razão, ferramentas, técnicas e aprendizados. A partir da mistura de tudo isso é que pode torna-se um empreendedor de sucesso.

img-20161007-wa0012

Gostaria de levar este evento para a sua cidade? Mande uma mensagem para mim, clique aqui!

08
ago2016

Participe do webinar gratuito – “De funcionário a empreendedor”

O Apreendedorismo é um canal desenvolvido pela Locaweb para transmitir palestras gratuitas sobre marketing digital, empreendedorismo, inovação, tendências e tecnologia, entre outros temas. Os webinars gratuitos são veiculados pela plataforma Eventials e acontecem todas as quintas-feiras, às 15h.

Nesta quinta-feira (11 de agosto), às 15h (horário de Brasília), eu estarei ao vivo com o tema: De funcionário a empreendedor. Vou abordar tópicos interessantes para todos aqueles que sonham em se tornar empreendedores. Na oportunidade, estarei contando minha própria experiência e acredite – você vai se surpreender!

Se você tem interesse em participar, inscreva-se gratuitamente através deste link: https://www.eventials.com/locaweb/de-funcionario-a-empreendedor-com-jeferson-carlos/

0808_apreendedorismo_linkedin

11
fev2016

Empreendedores, usem a regra 10-20-30 nas suas apresentações

Você chega a suar frio e/ou passa noites em claro quando necessita encarar uma apresentação em público? Saiba que não está sozinho nessa.

Vender uma boa ideia é um desafio para qualquer empreendedor. Ainda mais quando se está em busca de investimentos para tirar o projeto do papel.

Guy Kawasaki já foi colaborador e “chefe evangelizador” (uma espécie de missionário) da Apple. Atualmente, gerencia um fundo de venture capital – o Garage Technology Ventures, e está acostumado a ver muitas apresentações ruins. Ele traz a regra 10-20-30.

Em um post no seu blog “How to Change the World”, ele explica que chegou a essa regra depois de ouvir centenas de apresentações de startups em busca de capital, e se entediar muito com isso. A fórmula é simples:

Para Kawasaki, 10 é um excelente número de slides para uma apresentação. A explicação dele é que um ser humano normal não consegue compreender mais de dez conceitos diferentes em um só encontro. “Se você precisa de mais de dez slides para apresentar seu negócio, você provavelmente não tem um negócio”, diz. Ele também lista os dez tópicos que um investidor de venture capital leva em conta em uma apresentação:
1. O problema
2. Sua solução
3. Seu modelo de negócio
4. A mágica da coisa/tecnologia
5. Marketing e vendas
6. Competição
7. Equipe
8. Projeções e conquistas
9. Status atual e cronologia
10. Recapitulação e chamada para a ação

20 minutos – Você deve apresentar os 10 slides em 20 minutos. Kawazaki recomenda o tempo reduzido para aproveitar os 40 minutos restantes para discussão e dúvidas, isso se não houver nenhum problema técnico para colocar a apresentação no data show ou se os investidores não tiverem de sair mais cedo, além de terem chegado atrasados.

30 pontos – Use uma fonte grande, tamanho 30, nos slides. A experiência de Kawazaki é que a maioria prefere usar uma letra menor para poder acumular mais informações em cada tela. Na opinião dele, isso não funciona. “A maioria das apresentações que eu vejo estão com um texto de tamanho 10. O máximo de texto possível é colocado em um slide, e então o apresentador lê o que está escrito. No entanto, assim que a audiência percebe que você está lendo, ela avança na sua frente, já que consegue fazer isso mais rápido do que você fala. O resultado é que o palestrante e o espectador ficam sem sincronia”, diz.

download

Neste vídeo, ele explica com as próprias palavras (em inglês) a regra 10-20-30.

No que eu puder te ajudar… Conte comigo!

Facebook
Linkedin
Twitter
Google+