17
jan2017

14 dicas para aplicar o storytelling no seu marketing

Você tem apenas 8 segundos para capturar o interesse dos seus clientes antes que algo mais os atraia e roubem a interação com o conteúdo que você gastou tanto tempo criando e refinando.

Pegue papel e caneta. Abaixo listo 14 dicas infalíveis para você implementar o storytelling no seu marketing digital:

DICA 1

Apresente o seu produto ao vivo junto com objetos relacionados para comunicar as aplicações da vida real.

DICA 2

Incentive uma conversa e/ou debate com legendas convincentes.

DICA 3

Busque alternativas de envolver os fãs e compartilhe suas fotos e vídeos usando o seu produto.

DICA 4

Ofereça a sua audiência uma espiada por trás das câmeras. Não precisa ser polido. Autenticidade triunfa sobre a perfeição.

DICA 5

Decida qual história você quer contar com suas imagens. Seja simples. Separe quais fatos são mais importantes e use seu produto como a conclusão da história.

DICA 6

Faça seus clientes serem heróis e seu produto o superpoder.

DICA 7

Use e encoraje o uso de #hashtags para estender o alcance do conteúdo.

DICA 8

Reaproveite o conteúdo antigo e compartilhe conteúdo de terceiros que complementem sua marca e sua mensagem.

DICA 9

Encontre posts e artigos existentes que sejam somente texto em seu website e adicione imagens complementares para ilustrar o ponto principal.

DICA 10

Reduza posts e artigos em pequenas apresentações visuais.

DICA 11

Link suas imagens! Curtidas e comentários são ótimos, mas não se esqueça de direcionar seus fãs a assinarem ou seguirem sua página.

DICA 12

Adicione botões de compartilhamento social a seu website par que os fãs possam divulgar seu conteúdo.

DICA 13

Teste imagens, monitore métricas e invista no que funciona.

DICA 14

Não tente conquistar todas as mídias sociais de uma vez. Concentre-se inicialmente em uma mídia e domine-a antes de partir para outra.

Gostou das dicas? Compartilhe nas suas redes e promove o conhecimento!

23
ago2016

Ferramentas de marketing para pequenos negócios

Utilizar ferramentas para promover um negócio não é privilégio para grandes empresas com grandes orçamentos.

Veja como pequenos negócios podem usufruir de ferramentas de marketing e divulgação com pouco investimento.

IDENTIDADE VISUAL (MARCA)

Se o seu pequeno negócio ainda não possui, crie ou contrate a criação para que seja aplicado nos materiais gráficos e digitais. É uma forma eficiente de identificar a sua empresa nos diferentes tipos de mídia que você utilizar.

Você pode localizar profissionais para criar sua marca via:

WeDoLogos
Prolancer
Workana
99 Freelas
Freelancer.com

SITE / LOJA VIRTUAL

Uma alternativa acessível para promover e vender seus produtos e/ou serviços. Pense em layout, publicações, contratação de serviços de registros e hospedagem. É preciso manter atualizações constantes.

Aqui estão links de plataformas para lojas virtuais:

Shopify
Olist
Loja Virtual
Loja Integrada
Hotmart

RELACIONAMENTO COM O CLIENTE

Um tiro certo para o sucesso da sua empresa é manter um relacionamento saudável com os seus clientes. Para tanto, é necessário ter um estratégia para avaliar a satisfação, estabelecer contato e promover a fidelização.

Moskit
Survey Monkey
Google Formulário
Survio
Typeform
Zopim
Snap Engage

MÍDIAS SOCIAIS

Escolha a mais adequada para você encontrar o seu cliente: Facebook, Instagram, Snapchat, Foursquare, Twitter, Youtube, Pinterest… Monte a sua página. Elabore um plano de atualizações e procure não apenas falar do seu negócio, mas ofereça também conteúdo útil e que gere engajamento.

Business Facebook
Instamizer
Hootsuite
Agora Pulse
Postcron

E-MAIL MARKETING

Se você possui uma lista de pessoas que autorizam receber seus e-mails, esse é um ótimo canal para promover o seu negócio, fazer promoções, pesquisas e manter um relacionamento com os clientes. Capriche no design, assunto da mensagem e personalize com o nome do seu cliente.

Mailchimp
E-goi
Get Response
Email Manager

PROMOÇÕES

Descontos, sorteios, distribuição de brindes, cartões-fidelidade são formas de movimentar vendas e atrair clientes. O investimento dessa ação pode variar muito, mas é possível realizá-la de forma simples e criativa.

Wishpond
Donuz
Meucupom
Woobox
Tabfoundry

Selecione e aplique essas ferramentas em conjunto. Elabore uma estratégia de atuação combinada e não esqueça de avaliar os resultados depois.

Gostaria de discutir esse assunto comigo? Clique aqui!

19
jun2015

Os valores mudaram com o surgimento do mundo digital

As empresas não podem deixar de estudar e investir neste mundo que a cada dia passa a ser mais digital.

Existe uma diferença na forma como o mercado em muitos países tem explorado o trabalhador, por exemplo, enquanto nos EUA o “nine to five” é uma regra para a maioria das indústrias e escritórios, tal norma soa completamente absurda em países como Japão ou Coréia, onde os trabalhadores chegam a dormir em hotéis-cápsulas para economizar tempo de deslocamento, com relação aos australianos é raro tirar mais de 15 minutos do dia para almoçar. E o que dizer dos direitos trabalhistas que, enquanto no Brasil são os mesmos para todos os níveis da esfera hierárquica, na China simplesmente não existem? Aliás, mencionando a Ásia, descobrimos que a Índia já é considerada cara para contratações quando comparada ao Paquistão. Enfim, o mundo é global do ponto de vista econômico, mas no plano dos valores culturais ainda é fragmentado e cheio de mistérios a serem considerados e desvendados.

Por muitos anos, as sociedades modernas dependeram da indústria para produzir e fazer circular informação e conhecimento. Mas nos últimos 15 anos, mudanças tecnológicas aumentaram a participação da produção não-proprietária e não-comercial, permitindo que pessoas assumissem papéis mais ativos do que era possível no modelo industrial. A nova condição do indivíduo pode ser uma plataforma para cultivar uma cultura mais crítica e auto-reflexiva, aprofundar a participação democrática e trazer melhoras no desenvolvimento humano em nível mundial.

Observando a internet durante esses últimos anos, percebo que conversar na web é uma tendência muito grande a cada dia. Novas personalidades surgem influenciando diretamente a mídia, comunicação e marketing, e vemos surgir o autor 2.0, demandando inovação no diálogo e aplicações tecnológicas. Identifico mudanças que causam um impacto na comunicação dialógica e o marketing de engajamento, mesmo mantendo o prazer de conversar abertamente, as pessoas tem se tornado individualistas, portanto menos gregárias.

Um ícone do individualismo que eu posso exemplificar é o “fone de ouvido”, cada pessoa tem a opção na escolha da playlist, sem incomodar ninguém com a própria música e, diferente do egoísta, não dá crédito a opinião dos outros e compartilha sua seleção com quem pretende conhecer suas preferências, o próprio mundo. O timing das pessoas está mudando assustadoramente, existe uma neurose tecnológica por processadores e conexões cada vez mais rápidas, vive-se a síndrome do segundo parágrafo onde as pessoas têm dificuldades em parar pra ler com calma e atenção as mensagens com mais de três parágrafos.

Penso na frase de Marshall McLuhan “O homem cria as ferramentas e, subsequentemente, as ferramentas recriam o homem”.

Estamos vivendo na era em que está crescendo a disponibilidade da tecnologia para transportar, armazenar e exibir conteúdos. Foi-se a época em que as pessoas tinham de passar horas estudando para aprender sobre tecnologia, hoje a onda é plug’n’play. As mídias sociais são mais divertidas e de fácil acesso onde se tem um forte desejo em compartilhar o próprio mundo. Todos somos autores, porém a linguagem é a senha para permitir o diálogo e o relacionamento.

Redes sociais estão transformando a visão do mundo, nunca foi tão fácil observar e entender que vivemos num mundo sistêmico. O mundo quer se conhecer, trocar ideias, estar conectado, participar de tudo, ter protagonismo, enfim, o mundo quer ser autor do próprio mundo. Os jovens de hoje estão dominando as novas tecnologias e inovando o mercado atual.

Somos o bicho-papão do novo século, analise como era o dia a dia da sociedade antes e como é atualmente.

Quem encara o acelerado ritmo de transformações pelas quais passa o planeta de forma natural, desde o aquecimento global à mudança de comportamento das novas gerações na adoção e no uso da tecnologia, talvez tenha dificuldade para entender que a velocidade das mudanças nem sempre foi essa. O chamado homem “moderno” demorou 1700 gerações para desenvolver a linguagem, 300 gerações para aprimorar a escrita e a imprensa só foi criada por Gutemberg há 35 gerações (*pesquisei sobre isso em fontes diversas, ao qual hoje tenho a praticidade ao meu favor. Pense como era para se ter acesso a isso antes?).

A “Web 3.0” já está sendo ultrapassada, estamos chegando na “Web 4.0” ao qual soma as evoluções e oportunidades das eras anteriores. De acordo com estudiosos, essa nova era passa a ser um enorme sistema operacional dinâmico e mais inteligente, capaz de utilizar e interpretar informações e dados para tomadas de decisões. Tudo isso de forma automática através de um complexo sistema de inteligência artificial.

Acredite, a próxima web conectará conhecimento e não apenas pessoas, os próximos smartphones terão mais capacidade que os notebooks de hoje e através deles que iremos interagir com o ambiente e pessoas ao nosso redor, já existe empresas investindo em distribuição de WiFi em alguns pontos, inclusive aqui no Brasil. A conexão será tão essencial quanto a água, luz, esgoto, educação, saúde e segurança.

Posso afirmar que a internet do futuro já existe, mas nos próximos anos será muito diferente de como conhecemos hoje. A internet fará uma mudança muito grande na forma das pessoas se conectarem, comunicarem e colaborarem, ou seja, de como vivemos, aprendemos, trabalhamos e nos divertimos.

mundo-digital

Facebook
Linkedin
Twitter
Google+